Na Curva do Teu Sorriso

Na curva do teu sorriso eu depositei minha fé e meu amor.

E olhando pra ti, agora, percebo que a gente foi a coisa mais linda desse vida.

Somos, né. Ainda somos. Somos mesmo.

Tu ainda vive aqui no meu peito. Tua gargalhada ecoa na minha memória e o teu abraço ainda se faz presente no meu corpo, mesmo depois de tanto tempo… Te sinto por todos os lados, de todos os jeitos. Te olho e te decoro mesmo sem te ter e te sorrio o sorriso mais bonito mesmo sem tu de plateia pra assistir. Te vejo nos amores coloridos que encontro pelos cantos, mas tu também tinha um jeito especial de se demonstrar. Tu tinha era mesmo um jeito especial de se fazer sentir.

Ou tu ainda tem, mas só não tem mais pra mim. Tem pra ti e pra outras pessoas que tu resolver despejar teu amor e tua felicidade. E tudo bem, sabe. Também sei despejar sentimento por aí. Sei sorrir e sei amar. Sei ser eu – na minha mais completa e sincera forma de ser no mundo.

Nessas conversas que a gente tem de vez em quando eu vejo que crescimento e respeito cultivamos juntos. Desabrochamos, anos depois, pessoas fortes e inteiras. Quem diria, – antes – duas crianças aprendendo a viver e – depois – duas partes completas e suficientes soltas nesse universo de meu deus.

Que lindo foi tudo isso. Que lindo foi compartilhar tua cama, teu corpo, tua alma. Que lindo foi conhecer cada detalhe de ti e quase que me reconhecer no teu jeito de falar. Que lindo foi decifrar tuas ruguinhas na testa e me divertir com as babozeiras que tu cismava em contar só pra me fazer sorrir.

Lindo foi voar ao teu lado com a certeza de uma eternidade e – agora – aterrisar sabendo que eternidade é só o nosso jeito de amar enquanto for amado. E – caramba – como foi amado! Espero que tu consiga voar de novo – só que mais alto dessa vez. Que tu veja um mundo mais colorido e mais apaixonante. Que tu conheça um novo jeito de sentir e que tu possa se fazer no mundo uma pessoa cada vez mais sábia e mais correta. Que teu olhar não se desmanche em escuridão e que teus ombros não sofram com nenhum pesar. Que teu sorriso se reconheça em outras canjicas e que teu corpo se aqueça com novos abraços. Que tu seja, enfim, mais feliz. Mas que tu seja, sobretudo, tu.

Estarei sempre aqui pra ti. Porque tu é muito pra mim. Sempre. E para sempre.

E saiba que na curva do teu sorriso eu ainda deposito minha fé e meu amor. Só que – hoje – de uma maneira diferente.

Obrigada. Por tudo. Mesmo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s